quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Vantagens da prática do aleitamento materno!

http://www.youtube.com/watch?v=w6AkWfnksqo
A mortalidade infantil nos paises em desenvolvimento está presente diariamente em 40 mil crianças, que são vítimas de má nutrição ou de doenças decorrentes desta patologia.
Os recém nascidos de terceiro mundo não amamentados apresentam um risco cinco vezes maior de morte em relação àqueles alimentados com colostro e leite materno.
A recomendação da Organização mundial da Saúde(OMS) para que a a amamentação exclusiva ocorra por 6 meses se deve ao fato de que são inúmeras as vantagens que esta prática oferece, tanto para a mulher e criança,quanto para a família e sociedade.

As vantagens para a mulher:

O útero volta mais rapidamente ao seu tamanho normal
Previne complicações hemorrágicas após o parto
Reduz o risco de desenvolver câncer de mama e ovário
Previne fraturas por osteoporose, artrite reumatóide e esclerose múltipla
Estabelece uma aproximação da mãe com a criança
Contribui para o retorno mais rápido do peso pré-gravídico e recuperação física
Retarda o início do ciclo menstrual devido amenorréia lactacional
Promove o espaçamento intergestacional
Diminui os níveis de colesterol total, colesterol LDL e triglicerídeos, enquanto os níveis de HDL se mantêm elevados, bem como melhora do metabolismo dos carboidratos.

As vantagens para a criança

Protege contra infecções como diarréias, pneumonias, otite média, infecção urinária, principalmente no primeiro ano de vida, sendo maior a proteção quanto maior o tempo de aleitamento exclusivo

Protege contra crônicas tais como Diabetes Mellitus tipo I, doenças cardiovasculares, doença celíaca, doença de Crohn, obesidade e linfoma infantil

Favorece o desenvolvimento neuropsicomotor da criança, melhorando profundamente a relação mãe-filho. Pesquisas sugerem que crianças amamentadas, quando submetidas a testes neurológicos, incluindo a medida do quociente de inteligência (QI), têm uma pequena vantagem em relação às não-amamentadas

Colabora efetivamente para diminuir a taxa de desnutrição protéico-calórica e, conseqüentemente, para a redução dos índices de mortalidade infantil

Diminui a probabilidade do desencadeamento de processos alérgicos pelo retardo da introdução de proteínas heterólogas, existentes no leite de vaca. Pesquisas revelam que a amamentação diminui o risco do aparecimento de distúrbios auto-imunes em crianças mais velhas e em adultos

Menor incidência de morte súbita no berço

Melhor resposta às vacinações e capacidade de combater doenças mais rapidamente

Vantagens para a Família e Sociedade

Menor custo com leite artificial

Diminui dos gastos com internações por problemas gastrointestinais, respiratórios e outras doenças

Diminui o absenteísmo dos pais ao trabalho, uma vez que a criança se mantém mais saudável

Determina economia quanto ao uso de gás de cozinha, porque dispensa aquecimento e preparo

Reduz a poluição ambiental por diminuição de lixo orgânico (plásticos e borrachas de bicos e mamadeiras) e poluentes do ar

Previne problemas ortodônticos e dentais relacionados ao uso de chupetas e bicos de mamadeira
RAMOS, J.L.A. Aleitamento materno:benefícios a longo prazo. Benefícios metabólicos. In: ISSLER, H. O aleitamento materno no contexto atual. Políticas, práticas e bases científicas,.São Paulo: Sarvier, 2008. Cap 5 , p. 2890-300.
REA, MF. Os benefícios da amamentação para a saúde da mulher. J Pediatri (Rio J.). 2004;80(5 Supl):S142-6.

TERUYA, K.; COUTINHO, S.B. Sobrevivência infantil e o aleitamento materno. In: REGO, J.D. Aleitamento materno. São Paulo: Atheneu, 2001. cap 2. p. 5-19.
LAWRENCE, R.A.; LAWRENCE, R.M. Breastfeeding- A Guide for the medical profession. Philadelphia: Mosby, 2005.1152p.

8 comentários:

  1. Todos os brasileiros gostam de vantagens, só não entendo porque nem todas as mulheres não amamentam seus filhos. Seria por falta de conhecimento? Afinal, as vantagens são inúmeras, desde a saude para o bebezinho, a estética da mulher, com a volta do "corpo no lugar", contribuição para o meio ambiente e a economia para o orçamento familiar, pois não terá de gastar com leites e remédios.
    Isso tudo é qualidade de vida.

    ResponderExcluir
  2. Patricia Baggio Vieira9 de novembro de 2009 15:37

    Na minha opinião a prática do aleitamento materno só não é adotada por todas as puérperas por causa da falta de informação, pois se todas soubessem o beneficio que estão trazendo, não só para seu filho, como também para ela mesma, faria o possível para tornar a amamentação essencial para seu bebê. E enfatizar a parte da estética e prevenção de doenças seria um bom começo para o profissional de enfermagem estimular a adoção desta prática que propiciará melhor qualidade de vida para a família que esta sendo formada.

    ResponderExcluir
  3. Ao assistir o vídeo postado pela professora tive vontade de chorar. Vídeos como esse mostra que nem todas as crianças reagem de forma igual às fórmulas de outros leites o bom mesmo é o leite de sua própria mãe que é especial para o bebê.
    Ao tomar o leite de vaca, proteínas estranhas são absorvidas inteiras, acarretando sensibilização alérgica. Diarréias prolongadas, comuns no uso de mamadeira, lesionam a mucosa intestinal, aumentando exageradamente a sua permeabilidade às proteínas do leite de vaca e o risco de alergia. Assim, progressivamente a criança vai se tornando alérgica a outros alimentos (soja, frango, castanhas, etc.). Existe uma fórmula a base de fracionamentos protéicos contendo apenas aminoácidos, acabam sendo a opção de alimento para o bebê, que tem sua vida em risco por ter experimentado uma "simples mamadeira" de leite artificial nas primeiras semanas de vida.
    Muitas outras doenças como: asma brônquica, alergias como eczemas, infecções do ouvido, são exemplos do uso de leite de vaca. Os benefícios imunológicos contra infecções e alergias do leite são próprios de cada espécie animal e intransferíveis. Somente o bezerro pode se beneficiar das virtudes do leite de vaca. Infelizmente, o homem é o único animal que se utiliza habitualmente do leite de outras espécies animais para alimentar o próprio filho.

    O vídeo que foi postado por mim fala da importancio dos bancos de leite para quem não pode alimentar seu próprio filho, é uma opção para evitar outros tipos de leite que podem trazer doenças.
    http://www.youtube.com/watch?v=dx_xkCVxeYI

    Eis nossa responsabilidade como enfermeiras e enfermeiros,informar gestantes e familiares.

    ResponderExcluir
  4. Lôide Queiroz

    Me desculpem, acabei de postar esse material mas não saiu o meu nome.

    ResponderExcluir
  5. Este blog é ótimo para que possamos opinar e pesquisar sobbr assuntos de interesse da turma de enfermagem

    ResponderExcluir
  6. Quem amamenta deve tomar cuidado com informações errôneas quanto ao aleitamento.
    Ele só traz vantagens como:
    Redução do câncer de mama;
    Protege a mulher contra esteoporose;
    Torna mãe e filhos mais íntimos.
    Essas são algumas das vantagens da amamentaçã

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog, especializado.
    Mais informações para as futuras Mamães.

    ResponderExcluir
  8. Olá blogueiro,

    Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

    Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

    O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

    A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.



    Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Obrigado pela colaboração!

    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir